DINÂMICA DO CONSUMO, DO INVESTIMENTO E O SUPERMULTIPLICADOR: UMA CONTRIBUIÇÃO À TEORIA DO CRESCIMENTO LIDERADO PELA DEMANDA

Esta tese se apresenta como uma contribuição na tradição do supermultiplicador sraffiano. Buscaremos desenvolvê-lo em duas direções: no estudo da estabilidade e das propriedades dinâmicas do modelo sob diferentes especificações da função-investimento e na análise do endividamento dos trabalhadores quando existe consumo financiado por crédito. Antes desses desenvolvimentos, porém, compararemos o modelo do supermultiplicador com o modelo kaleckiano de crescimento, o qual é visto como a ferramenta padrão para análises de crescimento na macroeconomia da demanda efetiva. Este último modelo apresenta, a nosso ver, três limitações: i) não apresenta tendência à normalização da taxa de utilização de capacidade; ii) não apresenta relação positiva entre taxa de investimento e taxa de crescimento; iii) não apresentas nenhuma influência de gastos autônomos não-geradores de capacidade produtiva (GANGCP) sobre a taxa secular de crescimento. Estas características contradizem alguns fatos estilizados encontrados na literatura empírica sobre crescimento. O
modelo do supermultiplicador, por sua vez, ao assumir a presença de GANGCP com funçãoinvestimento baseada no princípio do ajustamento do estoque de capital, tem por resultado um equilíbrio que não apresenta aquelas limitações. Assim, ao desenvolver o modelo do supermultiplicador e apresentá-lo como alternativa ao modelo kaleckiano, esta tese terá três
objetivos específicos buscados ao longo de três ensaios. O primeiro objetivo específico será desenvolver um modelo híbrido, em que haja a presença de GANGCP concomitante à presença de função-investimento tipicamente kaleckiana. Veremos que modelos deste tipo geram dois possíveis equilíbrios, um idêntico ao kaleckiano tradicional, o outro com
crescimento liderado pelos GANGCP, e apresentam uma série de limitações, de forma que veremos não ser possível simplesmente inserir GANGCP em modelos tipicamente kaleckianos nos demais aspectos. No segundo ensaio, buscaremos estudar as propriedades dinâmicas do modelo do supermultiplicador sob quatro distintas especificações da funçãoinvestimento. Veremos que, de um lado, o modelo pode ser formalizado com ou sem investimento autônomo no curto prazo (no longo prazo todo o investimento é necessariamente induzido). De outro lado, veremos que há dois mecanismos básicos que podem explicar a
função-investimento no longo prazo, podendo a mesma ser baseada em expectativas adaptativas ou em desvios do grau de utilização observado em relação ao grau normal. Veremos que a condição de estabilidade do equilíbrio será uma generalização da condição keynesiana independentemente da especificação do modelo, ao passo que a dinâmica de convergência ao steady state dependerá da especificação, de forma que faremos algumas generalizações. Por fim, no terceiro ensaio, desenvolveremos um modelo bem simples de supermultiplicador com gastos autônomos dos trabalhadores, os quais geram simultaneamente
empréstimos (e, portanto, dívidas) e renda. Como o crescimento, no modelo, será determinado pelos gastos autônomos dos trabalhadores e dado o funcionamento do mecanismo do supermultiplicador, veremos que o endividamento daqueles será tanto menor quanto mais
rápido for o crescimento dos empréstimos, de forma que tentativas de restringir as condições de concessão de crédito aos trabalhadores visando diminuir seu endividamento poderão ter efeito contrário, de elevá-lo.


Leia Online

Download

Clique aqui para fazer o download

Comentários estão desabilitados.

Navigate