restrição externa

10 Posts Back Home

Metas de inflación, restricción externa y conflicto distributivo en Argentina

Recientemente, una serie de trabajos han formulado las críticas a las hipótesis principales en que se apoya el denominado “nuevo consenso macroeconómico”. A su vez, estas críticas se han extendido al caso de una economía abierta. Estas críticas no se ha limitado a poner de relieve lo que es incorrecto en la visión teórica del nuevo consenso, sino que además apuntó a sustituir sus hipótesis principales por otras (consideradas teóricamente más sólidas y a su vez empíricamente relevantes) con el fin de analizar sobre el cambio en los resultados obtenidos.

Aggregate Demand and the Slowdown of Brazilian Economic Growth from 2011- 2014

This paper looks in detail at the sharp slowdown in the Brazilian economy for the years 2011-2014,in which economic growth averaged only 2.1 percent annually,as compared with 4.4 percent in the 2004-2010 period. The latter level of growth was also more than double Brazil’s average annual growth rate over the prior 23 years (although it was much lower than the pre-1980 period). It is important to understand why the higher rate of growth experienced from 2004 to 2010 was notsustained over the past few years.

Crecimiento económico, demanda y la relevancia de la política económica estatal en el periodo 2003-2010

La dirección de investigación intentará demostrar que el gasto autónomo, guía el crecimiento, manteniéndose por debajo de la restricción externa, una característica totalmente relevante para
economías con una estructura productiva desequilibrada en el sentido de Diamand (1972; 1973; 1988) y para la aplicación de una correcta política económica que ataque el núcleo del problema.

A Restrição Externa e a “Lei de Thirlwall” com Endividamento Externo

Este trabalho procura apresentar um esquema analítico simples para avaliar criticamente o modelo de crescimento na abordagem Kaldor-Thirlwall. Inicialmente argumentamos que a ideia de que o nível (e a taxa de crescimento) do produto que equilibra a balança de pagamentos seja um determinante direto e seja idêntico ao nível (e a taxa de crescimento) do produto efetivo a longo prazo depende de hipóteses arbitrárias, especialmente no caso em que existem fluxos de capitais.

O Papel da Taxa de Câmbio Real nos Modelos de Restrição Externa: Uma proposta de releitura com elasticidades endógenas

O presente artigo explora um ponto da agenda sobre modelos de crescimento e será dedicada à elaboração de um modelo de restrição externa com elasticidades endógenas, com principal ênfase ao papel do nível da taxa de câmbio real como instrumento estratégico para o desenvolvimento econômico. O modelo terá como âncora os modelos de Kaldor, Thirlwall e Barbosa-Filho para demonstrar que a restrição externa se altera ao longo do tempo.

O desenvolvimento economico e a abordagem clássica do excedente

Nesse artigo mostramos como um esquema de análise baseado na abordagem clássica do excedente pode ser usado para explicar o desenvolvimento econômico das nações e, em particular, da economia brasileira nas últimas décadas. Nossa discussão começa pelas limitações da tradicional economia do desenvolvimento, por um lado e, por outro, à incapacidade da abordagem neoclássica de explicar alguns dos fatos estilizados mais importantes do processo de desenvolvimento.

Tequila ou Tortilha? Notas sobre a Economia Brasileira nos Noventa

Como a maioria dos demais países latino americanos, a economia brasileira foi muito atingida pela duas mais importantes mudanças nas condições externas que afetaram o continente desde 1980, a saber, a interrupção (e mesmo a reversão) dos fluxos internacionais de capital para a região depois da moratória mexicana em 1982 e a retomada destes fluxos nos anos 90.

Navigate