Política Econômica no Brasil

4 Posts Back Home

Political Aspects of Unemployment: Brazil’s Neoliberal U-Turn

Throughout the world, the reversion of fortune suffered by the Brazilian
economy since reaching its zenith as recently as 2010 has confounded shrewd commentators, seasoned analysts and market players alike. As 2015 unfolded, ominous projections (“An Economy on the Brink”, “Brazil’s Economy Falters” “Worse May Be To Come”) were no less widespread than expressions of bewilderment (“Whatever Happened to Brazil”, “Brazilian Waxing and Waning”, “Brazil’s Scandalous Boom to Bust Story”), and, more recently, of alarm (“Goldman Sachs Says Brazil Has Plunged Into ‘An Outright Depression’”) concerning the fate of the South American BRIC country.

As finanças públicas e o impacto fiscal entre 2003 e 2012: dez anos de governo do Partido dos Trabalhadores

Desde a crise externa no final da década de 1990, a economia brasileira adota um conjunto de políticas econômicas. Dentre essas medidas estava a meta de superávit primário como o principal objetivo da política fiscal, que é utilizado até hoje, mesmo com a entrada do Partido dos Trabalhadores (PT), oposição e crítico destas medidas.

A Desaceleração Rudimentar da Economia Brasileira desde 2011

Ao contrário do período de crescimento mais alto entre 2004 e 2010, que resultou de uma combinação de uma grande melhoria nas condições externas com uma mudança bem menor na direção de uma política macroeconômica mais pragmática e expansionista, argumentamos que a redução drástica da taxa de crescimento da economia brasileira a partir de 2011 se deveu relativamente mais a mudanças na condução da política macroeconômica interna do que às mudanças na situação externa.

Dezoito Anos de Política Fiscal no Brasil (1991 a 2008): uma interpretação alternativa

Este artigo analisa o comportamento finanças públicas brasileiras e o impacto dessas finanças sobre a demanda agregada para o período compreendido entre 1991 a 2008. A novidade se configura em dois pontos, a saber: o estudo das contas de todo setor público acima da linha (e não de apenas um órgão da federação) e o impacto da política fiscal brasileira sobre a demanda agregada utilizando o princípio da demanda efetiva.

Navigate