inflação de custo

10 Posts Back Home

Aspectos Políticos do Desemprego: A Guinada Neoliberal do Brasil

Em todo o mundo, a reversão da trajetória sofrida pela economia brasileira após ter atingido o apogeu de 2010 tem confundido igualmente comentaristas profissionais, analistas experientes e agentes do mercado. À medida que transcorria o ano de 2015, projeções cada vez mais negativas (“A Economia do Brasil Vacila” , “Uma Economia à Beira do Abismo”, “O Pior Pode Estar
Por Vir”) não eram menos difundidas do que expressões de incredulidade (“O que terá acontecido com o Brasil?”, “A Escandalosa História de Expansão e Colapso do Brasil”, “A Súbita Ascensão e Declínio Brasileiros”) e, mais recentemente, de ansiedade (“Goldman Sachs Diz Que Brasil Entrou Em ‘Franca Depressão ̓ ”) acerca do destino do membro sul-americano dos BRICs.

Metas de inflación, restricción externa y conflicto distributivo en Argentina

Recientemente, una serie de trabajos han formulado las críticas a las hipótesis principales en que se apoya el denominado “nuevo consenso macroeconómico”. A su vez, estas críticas se han extendido al caso de una economía abierta. Estas críticas no se ha limitado a poner de relieve lo que es incorrecto en la visión teórica del nuevo consenso, sino que además apuntó a sustituir sus hipótesis principales por otras (consideradas teóricamente más sólidas y a su vez empíricamente relevantes) con el fin de analizar sobre el cambio en los resultados obtenidos.

Distribution and Cost-Push inflation in Brazil under inflation targeting, 1999-2014

In this paper we analyze the evolution of Brazilian inflation under the inflation targeting system from a cost-push perspective. We identify the main features of three quite distinct phases (1999-2003, 2004-2009 and 2010-2014) and explain them in terms of tradable price trends in local currency, changes in the dynamics of monitored prices and behavior of wage inflation.

Os determinantes da inflação brasileira recente: estimações utilizando redes neurais

O presente artigo busca avaliar os determinan- tes da inflação brasileira recente, mais especifi- camente a partir de 1999, quando é instituído o Sistema de Metas de Inflação (SMI). Utilizando um modelo de Redes Neurais, avaliamos: (1) se as pressões de demanda, medidas pelo hiato do produto e do desemprego, têm impacto claro e sistemático sobre a inflação; (2) se a “inflação importada”, incluindo a inflação dos produtos transacionáveis em dólares e a variação da taxa de câmbio nominal, exerce influência significa- tiva sobre a inflação; e (3) se o canal de custo da taxa de juros se verifica empiricamente no caso brasileiro.

Uma nota sobre a relação entre salário mínimo e inflação no Brasil a partir de um modelo de inflação de custo e conflito distributivo

O presente artigo busca discutir a dinâmica da inflação brasileira no período recente e sua relação com a política de valorização do salário mínimo, a partir de um modelo desagregado de inflação de custo. Dessa maneira, discutem-se os possíveis canais de transmissão que levariam a uma relação sistemática ou estrutural entre salário mínimo e inflação à luz dos dados brasileiros.

Mercado de trabalho e a evolução dos salários no Brasil

No presente trabalho será avaliado o comportamento dos salários no Brasil nos anos 2000 a partir da abordagem da Economia Política Clássica. Dessa maneira, avaliaremos algumas características políticas, institucionais e a situação do mercado de trabalho da economia brasileira e sua relação com os resultados das negociações salariais reais e da posição de barganha dos trabalhadores.

Uma avaliação crítica das estimativas da curva de Phillips no Brasil

O presente artigo busca avaliar criticamente as estimativas da curva de Phillips para a economia brasileira no período recente, com respeito a proposição teórica da curva de Phillips aceleracionista que é um dos fundamentos do modelo do Novo Consenso em Política Econômica. Foram avaliadas as três principais hipóteses do modelo aceleracionista identificadas em Serrano (2007) – inércia completa; relação entre hiato do produto e inflação; e choques de oferta com média zero – a partir das estimações dos trabalhos empíricos para o Brasil.

Inércia parcial, histerese e conflito: um modelo alternativo ao Novo Consenso para Economia Fechada

O presente artigo apresenta um esquema analítico com base na Economia Política Clássica e na idéia de crescimento da capacidade produtiva liderado pela demanda efetiva, que permita avaliar os custos de longo prazo em termos de capacidade produtiva e que consiga identificar os canais de transmissão e controle inflacionários levando em conta a idéia de conflito distributivo, pensando na economia americana no período recente (pós meados da década de 80).

Tequila ou Tortilha? Notas sobre a Economia Brasileira nos Noventa

Como a maioria dos demais países latino americanos, a economia brasileira foi muito atingida pela duas mais importantes mudanças nas condições externas que afetaram o continente desde 1980, a saber, a interrupção (e mesmo a reversão) dos fluxos internacionais de capital para a região depois da moratória mexicana em 1982 e a retomada destes fluxos nos anos 90.

Navigate