Franklin Serrano

10 Posts Back Home

Será que “Acabou o Dinheiro”? Financiamento do gasto público e taxas de juros num país de moeda soberana

Este trabalho discute como se financiam os gastos públicos e se determinam as taxas de juros sobre os títulos de dívida pública de curto e longo prazo em países de moeda soberana. A análise segue a abordagem da taxa de juros exógena, que sintetiza os resultados comuns da visão da moeda endógena, da Modern Monetary Theory e das finanças funcionais de Lerner.

Political Aspects of Unemployment: Brazil’s Neoliberal U-Turn

Throughout the world, the reversion of fortune suffered by the Brazilian
economy since reaching its zenith as recently as 2010 has confounded shrewd commentators, seasoned analysts and market players alike. As 2015 unfolded, ominous projections (“An Economy on the Brink”, “Brazil’s Economy Falters” “Worse May Be To Come”) were no less widespread than expressions of bewilderment (“Whatever Happened to Brazil”, “Brazilian Waxing and Waning”, “Brazil’s Scandalous Boom to Bust Story”), and, more recently, of alarm (“Goldman Sachs Says Brazil Has Plunged Into ‘An Outright Depression’”) concerning the fate of the South American BRIC country.

Aggregate Demand and the Slowdown of Brazilian Economic Growth from 2011- 2014

This paper looks in detail at the sharp slowdown in the Brazilian economy for the years 2011-2014,in which economic growth averaged only 2.1 percent annually,as compared with 4.4 percent in the 2004-2010 period. The latter level of growth was also more than double Brazil’s average annual growth rate over the prior 23 years (although it was much lower than the pre-1980 period). It is important to understand why the higher rate of growth experienced from 2004 to 2010 was notsustained over the past few years.

Distribution and Cost-Push inflation in Brazil under inflation targeting, 1999-2014

In this paper we analyze the evolution of Brazilian inflation under the inflation targeting system from a cost-push perspective. We identify the main features of three quite distinct phases (1999-2003, 2004-2009 and 2010-2014) and explain them in terms of tradable price trends in local currency, changes in the dynamics of monitored prices and behavior of wage inflation.

A Potência Vulnerável: Padrões de Investimento e Mudança Estrutural da União Soviética a Federação Russa

O objetivo do presente trabalho é apresentar os traços essenciais das principais mudanças nos padrões de investimento e transformação estrutural na economia da Rússia entre 1950 a 2008. Como a antiga União Soviética era inteiramente centrada na Rússia, optamos por discutir os padrões de investimento e transformação estrutural na economia centralmente planificada da União Soviética como um todo no período de 1950 até a sua dissolução em fins de 1991 e da economia (crescentemente) capitalista da Federação Russa no período posterior (1992-2008).

Nosso argumento central é que a economia da Rússia atual, a despeito de quase uma década de crescimento a taxas elevadas a partir de 1999, da reconstrução parcial e do fortalecimento do Estado e do retorno de uma postura geopolítica mais assertiva a partir do primeiro governo Putin, se caracteriza por uma forte heterogeneidade estrutural que tem como implicação uma grande vulnerabilidade no que diz respeito a sua inserção externa, que se manifestou mais uma vez na crise mundial de 2008-2009.

A Restrição Externa e a “Lei de Thirlwall” com Endividamento Externo

Este trabalho procura apresentar um esquema analítico simples para avaliar criticamente o modelo de crescimento na abordagem Kaldor-Thirlwall. Inicialmente argumentamos que a ideia de que o nível (e a taxa de crescimento) do produto que equilibra a balança de pagamentos seja um determinante direto e seja idêntico ao nível (e a taxa de crescimento) do produto efetivo a longo prazo depende de hipóteses arbitrárias, especialmente no caso em que existem fluxos de capitais.

A Mudança na Tendência dos Preços das Commidities nos Anos 2000: Aspectos Estruturais

Neste trabalho, que segue a tradição sraffiana, argumentamos que os determinantes estruturais da nova tendência de aumento dos preços relativos das commodities nos anos 2000, a partir do forte aumento da demanda mundial de metais vinda da China, são: o retorno a um “nacionalismo dos recursos naturais” em muitos países exportadores de commodities; uma tendência simultânea de alto crescimento dos salários reais e uma apreciação real da taxa de câmbio das moedas de muitos países exportadores de commodities; a taxa muito rápida de crescimento da produtividade nas indústrias relacionadas à tecnologia da informação; e a tendência dos salários reais não crescerem ao mesmo ritmo que o crescimento de produtividade tanto nos países em desenvolvimento que exportam produtos industriais, quanto nos países centrais.

Growth, distribution and effective demand: an alternative closure

The paper presents an explicitly dynamic version of the Sraffian supermultiplier growth model in order to analyze its equilibrium path, local stability conditions and dynamic behavior in the neighborhood of equilibrium. This analysis is used to address the criticisms to model found in the literature and also to compare the model with the Cambridge and neo-Kaleckian growth models. The comparative inquiry confirms that the model can be considered a theoretical alternative to the Cambridge and neo-Kaleckian growth models in the analysis of the relationship between economic growth, income distribution and effective demand. The specific closure provided by the supermultiplier growth model allows it to generate a demand-led pattern of economic growth characterized by a tendency towards the normal utilization of productive capacity, while considering income distribution exogenously determined by political, historical and economic forces.

Uma sugestão para simplificar a teoria da taxa de juros exógena

O objetivo deste artigo é tentar esclarecer alguns pontos do extenso debate heterodoxo sobre a taxa de juros monetária, sugerindo o uso do que se chamará de abordagem da taxa de juros exógena. Essa abordagem parte de dois princípios bem gerais, que são: (a) o governo não quebra em sua própria moeda; e (b) os bancos só emprestam para clientes considerados solventes. Buscar-se-á reforçar os argumentos Lavoie (2006), mostrando que esses ficam mais claros e melhor fundamentados a partir dos princípios da abordagem da taxa de juros exógena.

Navigate