Franklin Serrano

10 Posts Back Home

PIB, demanda efetiva e variação de estoques: uma visão pessimista do que já ocorreu em 2017

Os dados do PIB relativos ao primeiro trimestre de 2017 foram bastante comemorados pelo Governo. De acordo com a versão oficial, a expansão de 1% registrada no primeiro trimestre de 2017 já significaria, após oito trimestres de queda, o fim da recessão. Otimista, o ministro da Fazenda tem declarado que o país já se encontra na direção correta, ainda que falte um caminho a ser percorrido para uma plena recuperação. O Gráfico 1 mostra o índice do PIB desde 2010 e já deixa bastante claro o quão pequena foi a reversão registrada no último trimestre, diante da intensidade do processo recessivo do período 2015/16. Considerando o acumulado dos últimos quatro trimestres contra os quatro anteriores, a queda do PIB ainda é de 2,34%. Considerando este último trimestre contra o primeiro trimestre de 2016, a queda é de 0,35%. Em sua pretensão de gerar expectativas positivas, o Governo tem dado total…

UMA FARSA QUASE TRÁGICA: A ESQUERDA “MODERNA” E A AMEAÇA FASCISTA

De acordo com Josef Stalin (1934):

A vitória do fascismo na Alemanha deve ser vista não só como um sinal da fraqueza da classe operária e o resultado da traição da social-democracia, que abriu o caminho ao fascismo. Ela deve ser vista igualmente como um sinal da fraqueza da burguesia, um sinal de que a burguesia já não tem condições para exercer o poder segundo os métodos parlamentares da democracia burguesa, motivo pela qual se vê obrigada a recorrer, na politica interna, aos métodos terroristas de governo.

Em relação à nova ameaça fascista que enfrentamos atualmente a situação é parcialmente diferente. Nos anos 30 do século passado, os liberais toleravam o fascismo para barrar o crescimento da esquerda. Agora é a “nova” esquerda que está ajudando os fascistas a dar uma sobrevida ao neoliberalismo.

Gravitation of market prices towards normal prices: some new results

The gravitation process of market prices towards production prices is here presented by means of an analytical framework where the classical capital mobility principle is coupled with a determination of the deviation of market from normal (natural) prices which closely follows the description provided by Adam Smith: each period the level of the market price of a commodity will be higher (lower) than its production price if the quantity brought to the market falls short (exceeds) the level of effectual demand.

Navegando em Círculos

Em dois textos recentes, CARNEIRO (2017) e CARNEIRO & MELLO (2017), Ricardo Carneiro propõe uma interpretação de por que teria dado errada a condução da economia nos governos Dilma e faz uma proposta de solução do problema da retomada do crescimento. No primeiro texto, faz algumas criticas a SERRANO & SUMMA (2015). Aqui nos parece que vale a pena uma réplica, principalmente porque a proposta de saída da crise atual é surpreendentemente parecida com alguns aspectos da politica que nos levou a crise atual.

The Trouble with Harrod: the fundamental instability of the warranted rate in the light of the Sraffian Supermultiplier

The paper discusses Harrod’s “principle of fundamental instability” of growth at the warranted rate, using the Sraffian Supermultiplier model, together with Hicks’s notions of “static” and “dynamic” stability, which are related to the distinction between the direction versus the intensity of a disequilibrium adjustment.

DEMANDA EFETIVA NO LONGO PRAZO E NO PROCESSO DE ACUMULAÇÃO: ORIGEM E DESENVOLVIMENTO DO DEBATE SRAFFIANO A PARTIR DO PROJETO DE GAREGNANI (1962)

O artigo discute a evolução do projeto sraffiano, iniciado em 1962 por Garegnani, de desenvolver uma teoria da demanda efetiva de longo prazo. Tratamos tanto dos aspectos metodológicos quanto analíticos, começando com a questão da compatibilidade entre o princípio da demanda efetiva e a abordagem clássica do excedente.

Demanda agregada e a desaceleração do crescimento econômico brasileiro de 2011 a 2014

O artigo analisa a rápida desaceleração da economia brasileira para os anos de 2011-2014, no qual esta cresceu apenas 2,1% em média anual, em comparação a média de crescimento de 4,4% do período 2004-2010. O crescimento do período 2004-2010 foi mais do que o dobro da média anual dos 23 anos anteriores. Dessa forma, é importante entender por que essa maior taxa de crescimento – embora bastante menor que a do período anterior a década de 80 – não se sustentou nos últimos 4 anos.

Aspectos Políticos do Desemprego: A Guinada Neoliberal do Brasil

Em todo o mundo, a reversão da trajetória sofrida pela economia brasileira após ter atingido o apogeu de 2010 tem confundido igualmente comentaristas profissionais, analistas experientes e agentes do mercado. À medida que transcorria o ano de 2015, projeções cada vez mais negativas (“A Economia do Brasil Vacila” , “Uma Economia à Beira do Abismo”, “O Pior Pode Estar
Por Vir”) não eram menos difundidas do que expressões de incredulidade (“O que terá acontecido com o Brasil?”, “A Escandalosa História de Expansão e Colapso do Brasil”, “A Súbita Ascensão e Declínio Brasileiros”) e, mais recentemente, de ansiedade (“Goldman Sachs Diz Que Brasil Entrou Em ‘Franca Depressão ̓ ”) acerca do destino do membro sul-americano dos BRICs.

Navigate