Dissenso ao Contrassenso do Novo Consenso: a Alternativa da Macroeconomia da Demanda Efetiva

A recente difusão no exterior e aqui no Brasil das ideias da MMT e das Finanças Funcionais deve ser comemorada. Afinal, limpar o terreno do debate permite avançar e comparar o que há de fato em disputa nas teorias. Esse artigo procurou mostrar, entretanto, que mesmo a utilização desses princípios teóricos pode levar a conclusões irrealistas em termos de politica fiscal quando incorporados dentro do contexto do modelo do Novo Consenso. Aqui no Brasil, o texto de Lara Resende levou um ortodoxo como Samuel Pessoa a declarar que aceita que o governo não quebra na própria moeda, mas que deveria enfatizar mais a importância da taxa natural de juros, enquanto a resposta dos pós Keynesianos brasileiros foi mais no sentido de tentar apontar possíveis problemas na MMT e tentar negar que o Estado e o Banco Central tenham amplos graus de liberdade para operar, do que criticar a taxa natural de juros e o modelo do Novo Consenso subjacente a analise de Lara Resende (Belluzzo (2019), de Paula (2019) e Terra(2019)).
Nossa contribuição a esse debate é dupla. De um lado deixar claro que apesar da referencia as ideias da MMT, a não ruptura com a visão ortodoxa do Novo Consenso é que explica as propostas de politica econômica de Lara Resende, que são opostas ao que é defendido pelos seguidores da MMT. E adicionalmente mostrar que existe uma alternativa que combina os ensinamentos das Finanças Funcionais e de parte da MMT com uma visão de que o crescimento é liderado pela demanda e a inflação é determinada pelo conflito distributivo e chamar a atenção de que já existe todo um programa de pesquisa do Grupo de Pesquisa em Economia Politica da UFRJ nesse sentido, baseado na abordagem do clássica do excedente na forma em que foi retomada por Sraffa e Garegnani. Esta visão tem uma base didática no curso optativo de Macroeconomia da Demanda Efetiva do Programa de Pós em Economia da UFRJ e que seus resultados teóricos e aplicados podem ser acessados nos artigos, dissertações e teses produzidos dentro dessa abordagem.

Leia Online

Download

Clique aqui para fazer o download

Comentários estão desabilitados.

Navigate