Os trabalhadores não se aposentarão por medo de não se aposentarem

A discussão sobre a reforma da previdência naturalmente que só faz se justificar mais com a queda progressiva da arrecadação numa economia que não cresce e que todos parecem “esquecer” que crescer significaria arrecadar mais. Isso de um lado. De outro, com mais desempregados, seguros-desemprego, famílias desoladas e sem saúde mental que reverbera em pouquíssimo tempo para a saúde física, dificuldade de trabalhar, depressão, invalidez ou morte, que aliás também aumenta muito com o aumento da violência urbana e com as catástrofes resultantes de um Estado que fomenta o espírito da violência, da intolerância e da segregação social, aumenta mais ainda a ponta dos “gastos” previdenciários (ops, peraí, o nome técnico disso não é gasto, é transferência). Estado que, também na sua lógica de escassez eterna (como sempre diz minha mãe, aquela visão de que “não haverá nem m. para todos”…nem isso haverá) não vê espaço fiscal para investir em…

Navigate